quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Escola Especial José Alvares de Azevedo apresenta o 3° José Arte

Alunos da Escola Especial Alvares de Azevedo, em Rio Grande, realizou ontem a terceira edição do festival José Arte. A mostra artística reuniu grupos vocálicos, dança e teatro.
As apresentações aconteceram no auditório do Instituto de Educação Juvenal Muller. Participaram cerca de 30 alunos com deficiência visual, além de professores e voluntários. No palco, o coral da escola apresentou canções em português e francês, acompanhadas de violão e percursão. De acordo com o professor de música Jader Barbosa, para a música não é preciso enxergar. "Música é ouvido, é talento. Todos eles aprenderam a tocar e cantar em Braille e já nasceram talentosos", conta.
A peça de teatro reproduziu a história de Louis Braille, o inventor do método de leitura utilizado pelos deficientes. Mexendo com cheiros e sons, a apresentação aguçou os sentidos de quem foi assistir. Para Matheus Ribeiro, professor de teatro, a encenação é uma maneira de provar que as dificuldades visuais não são obstáculos para os alunos. "Eles demonstraram um grande talento e força de vontade para fazer essa peça acontecer. É a isso que atribuimos tanto sucesso", afirma.
A data para o próximo José Arte ainda não foi definida.

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Alunos de Jornalismo participam de operação com a Marinha

Trinta alunos do curso de Comunicação Social – Habilitação Jornalismo da Universidade Católica de Pelotas (UCPel) estão participando da Operação Laçador, uma atividade combinada entre Marinha, Exército e Aeronáutica, promovida pelo Ministério da Defesa para planejar e executar exercícios de simulação de guerra.


Durante toda a operação, que ocorre até 27 de novembro, a equipe, monitorada pelo diretor do Centro de Educação e Comunicação, Jairo Sanguiné Júnior, e pelo coordenador do curso de Jornalismo, Carlos Leonardo Recuero, realizará toda a cobertura jornalística do evento, através de fotografias e reportagens para televisão e web.


Esta é a terceira vez que a UCPel participa de uma atividade de simulação de guerra da Marinha, o que dá a oportunidade à diversos alunos experimentarem na prática as atividades de jornalismo.

Ampliando conhecimentos

A agência de comuncação da UCPel - Agente, tem o objetivo de recriar a realidade profissional das agências de publicidade realizando todos os tipos de demandas com a finalidade de atribuir experiências na formação dos acadêmicos dos cursos de Comunicação Social da UCPel, dando a eles a capacidade de atuar no mercado de trabalho.


A proposta amplia o aprendizado que é dado na sala de aula, multiplicando as idéias e informações obtidas no dia a dia da vida publicitária e jornalística. A Agente trabalha exclusivamente para a Universidade, com trabalhos exclusivamente ligados à prática publicitária fazendo com isso a divulgação da instituição de ensino. O trabalho é coordenado por Fernanda Morales, e conta com a colaboração de diretores específicos para as áreas de atendimento, direção de arte e redação, além dos estagiários.


Este mes estão abertas vagas para as seguinteas vagas:


Estágio em REDAÇÃO PUBLICITÁRIA

Tipo: bolsista (remunerado)

Requisitos: ter cursado a cadeira de Redação Publicitária e Propaganda I (ou estar cursando)


Estágio em ATENDIMENTO

Tipo: bolsista (remunerado)

Requisitos: ter cursado a cadeira de Atendimento (ou estar cursando)


Estágio em JORNALISMO

Tipo: voluntário

Requisitos: ter cursado a cadeira de Redação em Jornalismo I (ou estar cursando)


Para fazer a inscrição envie um email para agenteucpel@gmail.com com o seu currículo, sem esquecer a área de interesse, até o dia 20/11.


Aproveite e amplie seus conhecimentos, mande seu currículo para a Agente!!


Código de ética: por que não na internet?

Os meios de comunicação possuem um código de ética. Nas maneiras de abordar os assuntos, na forma de buscar fontes e no jeito de transmitir as suas informações. A internet é hoje um dos principais meios de comunicação do mundo moderno e ainda carrega a idéia de que na rede não existem regras.

Com a popularização da rede a e inclusão digital a cada dia surgem novos veículos on-line. Sejam eles os grandes veículos tradicionais ou os pequenos blogs que infestam a rede e descarregam informações a todo o momento. Com a internet todos viraram comunicadores virtuais.

Com a possibilidade de qualquer um largar informações a qualquer momento na rede a internet se tornou um prato cheio para oportunistas. A informação quando publicada é dada como verdadeira, pelo menos em um primeiro momento. Neste ponto encontramos a necessidade de um código de ética na internet. Este código deve partir dos próprios jornalistas. Com a velocidade da internet as informações são capturadas na rede e jogadas aos leitores pelos grandes veículos. Sem confirmações e nem certezas apenas a informação como ela se deu na rede.

Para que o código de ética seja realmente aplicado a formação do jornalista é fundamental. Apenas um profissional competente e com formação poderá analisar a informação com mais cuidado. Assim como a TV e o jornal impresso exigem profissionais que lidam com a informação a internet também tem visibilidade na sociedade. Necessitando assim de tanta atenção quanto os outros veículos.

Concluindo o código de ética é necessário sim para a internet. Pelo menos aos grandes veículos e para as informações sérias e bem fundamentadas. É preciso checar sempre o que se publica, pois existem pessoas que acreditam no que jornalistas dizem.

A verdade e a qualidade sempre vão estar na frente da velocidade. O furo não serve para nada se não for bem elaborado e verdadeiro.

Na Espanha, Banda é direito público


O governo da Espanha anunciou que começará uma série de reformas na legislação para tornar o acesso à internet rápida um direito de todos os cidadãos a partir de 1º de janeiro de 2011. Em qualquer lugar do país ibérico, uma pessoa deverá ter a possibilidade de contratar um serviço de pelo menos 1 megabit por segundo (Mbps).

Com isso, a banda larga passa a ser um serviço público no mesmo patamar da telefonia fixa, com preços regulados e fornecido independentemente da localização do acesso, como bairros afastados e cidades pequenas em áreas rurais.

Porém, a velocidade mínima estabelecida pelo governo foi criticada, uma vez que em 2011 os serviços da internet irão requerer uma conexão maior do que 1 Mbps. De acordo com o jornal El País, apenas 39 mil dos 9,5 milhões de acessos à banda larga que a Espanha tem hoje são de 1 Mbps. O restante tem uma velocidade maior. Além disso, a legislação deverá propor subsídios a empresas para fornecer o acesso em regiões menos populosas, sem interesse comercial.

A Espanha segue o mesmo caminho da Finlândia. O país nórdico estabeleceu que a banda larga se tornará um serviço público em junho de 2010. Em outubro a Itália apresentou um projeto também para universalizar o acesso à internet rápida em 2010, com conexões de 2 Mbps.
 
 Brasil
 
No Brasil há um debate sobre o marco regulatório da internet,será apresentado nesta quinta (19.11), em São Paulo (SP), um balanço das contribuições reunidas na consulta do Marco Civil Regulatório da Internet. 
 
Tal balanço será apresentado pela Secretaria de Assuntos Legislativos (SAL), do Ministério da Justiça, durante o Seminário Internacional do Fórum da Cultura Digital Brasileira. 
 
A consulta foi iniciada em 29 de outubro. Ela tem como intuito buscar criar regras que orientem as ações de pessoas e empresas na web

Nova Radio UOL

A Rádio UOL ganhou uma nova plataforma tecnológica, está com novo visual, som em alta definição e mais interação. O público poderá criar e salvar sua própria playlist para ouvir na hora que quiser e também poderá ter à disposição playlists temáticas dos mais variados estilos, criadas pelos DJs da Rádio UOL. A busca está mais eficiente, pois o sistema de pesquisa sugere a continuação das palavras que são digitadas; outra característica nova é o uso de “nuvem de tags”, que permite mostrar aos ouvintes o nome dos artistas mais tocados do momento. O player aparecererá em todas as páginas da rádio, de maneira que o usuário pode continuar ouvindo sua música enquanto navega por outras páginas.

Quadrinhos de história faz sucesso na internet.


Já ouviu falar da revista Quadrinhos de história? Talvez não. É uma revista em quadrinhos independente que foi lançada há pouco tempo e criada pelos Scabini e Bernard. O destaque fica com a produção e a criatividade em relação à história. As histórias apresentam através do contexto social porém com o senso de humor. E até que os autores da revista criaram o site por objetivo de atrair o grande número de leitores, já no século XXI a informação passa a ser prioridade.

A revista Quadrinhos de história vê-se como uma estratégia de motivação para os leitores conhecerem melhor a história visto que os quadrinhos com o senso de humor apresentam a mescla de ficção e realidade para fazer o leitor refletir e se distrair ao mesmo tempo. E é um dos sinais do jornalismo de quadrinhos.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Sindicato do Paraná promove “sapatada no Gilmar”

Os Jornalistas Paranaenses utilizam sapatos para serem alvo contra Gilmar Mendes



A luta em defesa do diploma mobiliza jornalistas e segmentos da sociedade em todo o Brasil. Segunda-feira (16) foi lançado o Fórum Paulista em Defesa do Diploma. Na terça-feira (17), jornalistas paranaenses fizeram um “aquecimento” para a “sapatada no Gilmar”, que pretendem levar às ruas. No Rio, uma manifestação na Cinelândia marcou o Dia Nacional de Luta em Defesa do Diploma. E em Salvador foi lançado o “Selo Azul”. Para marcar os cinco meses da decisão do STF sobre o diploma, na terça-feira (17), profissionais se concentraram na sede do Sindicato dos Jornalistas do Paraná e “treinaram a mira” lançando sapatos em direção a um banner com a foto do presidente do Supremo, Gilmar Mendes. A atividade antecedeu as negociações da campanha salarial da categoria, onde o patronato quer tirar da Convenção Coletiva de Trabalho uma cláusula que obriga as empresas a contratarem jornalistas diplomados. O sindicato pretende levar a manifestação "Sapatada no Gilmar Mendes" as ruas de Curitiba nos próximos dias. A idéia é que os jornalistas compareçam com um par de sapatos usados para jogar num banner,repetindo o gesto do jornalista Iraquiano Muntazar Al-Zaydi, que numa coletiva de imprensa arremessou um sapato contra o ex-presidente dos Estados Unidos George Bush.


SANDRO ZIBETTI

FENAJ pedirá esclarecimentos sobre decisão do STF contra o diploma

Jornalistas se reunem em Brasilia e pedem esclarecimentos do Supremo


A retirada da pauta da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do Senado desta quarta-feira (18), a PEC 33/09, que reinstitui a exigência de diploma para o exercício do Jornalismo, irá à votação no dia 25 de novembro. A FENAJ Federação NAcional dos Jornalistas, entrará com embargos declaratórios até sexta-feira (20) sobre o acórdão com a decisão do STF. Para a próxima semana, a FENAJ se reunirá com a Frente Parlamentar em Defesa do Diploma para tratar da tramitação das PECs no Congresso Nacional, e com o ministro do Trabalho, Carlos Luppi, para abordar procedimentos quanto à emissão do registro profissional.Incluída na pauta da CCJC desta quarta-feira, a PEC 33/09 foi retirada por solicitação de seu autor, o senador Antônio Carlos Valadares (PSB/SE). A matéria voltará à pauta no dia 25 de novembro. Valadares considerou que na sessão da próxima semana haverá condições mais favoráveis para a aprovação da PEC.






SANDRO ZIBETTI

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Entrevista em quadrinhos


A mídia está cada vez mais suprema a cada momento, agora que a entrevista é feita em quadrinhos além de ser veiculada na TV e nos jornais digitais e impressos. Como funciona essa forma de entrevista, as perguntas e respostas são apresentadas em diálogos (em onomatopéia) e os elementos são indicados durante a ação gráfica. A adaptação da entrevista para os quadrinhos não apresenta dificuldades linguísticas.

É mais um material para o jornalismo de quadrinhos, o recente gênero a ser aplicado à prática jornalística.

Acessem a revista catorze na qual aparece a entrevista em quadrinhos.


Tim Maia com muito Soul



Ao que tudo indica, a época de 'covers' já passou. A idéia agora não é imitar artistas famosos, e sim fazer tributos. Pelo menos esta é a intenção da banda pelotense Soul da Silva.



Pela segunda vez o grupo sobe ao palco do João Gilberto em um tributo ao ícone da música brasileira - Tim Maia. Segundo os integrantes do grupo (que agora apresentam novo guitarrista) a idéia não é tocar as músicas de Tim como elas realmente são, mas sim colocar a identidade da banda nos clássicos da MPB que fizeram sucesso na voz inconfundível de Tim Maia.



O repertório passeia entre as diversas fases do cantor e busca misturar clássicos e aquelas do lado B também - essas são, sem dúvida, as preferidas da banda, que não escondem de ninguém a adoração pela fase mais polêmica de Tim Maia, que traz a irreverência e personalidade do músico que implantou o samba-soul e trouxe o funk americano para um encontro com a música popular brasileira.



O convite está feito, os integrantes Daniel Balhego, Renato popó, Eduardo Simões e Felipe Rotta prometem mais um espetáculo com convidados especiais e performances durante toda a noite.




Serviço:


O quê: Tributo a Tim Maia - banda Soul da Silva


Quando: quarta-feira (18/11) pós 23h


Onde: no João Gilberto (rua Gonçalves Chaves, 430)


Quanto: antecipados a R$ 8,00 na Studio CD’s, na gráfica Visual Express e no local do show

IMA realiza curso de extensão sobre a ditadura brasileira

O Instituto Mário Alves realiza nos dias 20, 21 e 22 de novembro, no Auditório do campus II da Ucpel um curso de extensão sobre a Ditadura Militar Brasileira.

O curso será desenvolvido através da exibição do Seriado “Anos Rebeldes”.
A partir da minissérie, serão realizados palestras e debates com os professores participantes e apresentação de músicas, imagens e vídeos sobre o tema.
Outras informações pelo telefone 3025-7241.

Banda CNR, capaz demais

Entrevista

Instrumentos como guitarra, contrabaixo, sax, percussão, bateria são o grande diferencial dessa Banda que iniciou sua trajetória há 12 anos no bairro Dunas de Pelotas. A Banca CNR é uma banda de rap, por isso o uso dos instrumentos é considerado inovação, pois normalmente os grupos usam apenas voz e pick-up.

O movimento que existe a mais de 30 anos caracteriza-se por expor letras que falam das dificuldades dos habitantes que moram em bairros pobres das cidades. Logo que chegou ao Brasil, há uns 20 anos, o estilo não foi bem aceito por ser considerado violento. Na década de 90 o rap ganha as ruas e conquista seu publico chamando a atenção das industrias e rádios.

A Banca CNR ajudou a construir a cultura rap em Pelotas e pulou o muro do bairro, é conhecida e reconhecida em toda cidade. No dia 14 de abril de 2009 foi o primeiro grupo de rap a subir no palco com uma banda formada, agora eles podem concorrer de igual pra igual com outras bandas em festivais.

O Guido, Eder, Glaucos, Paulo e Maninho concederam entrevista a RadioCom e vale a pena conferir o som desse grupo formado por 11 componentes atualmente (Zulu, Jorginho, Bruno, Micha, Tarso e Edy).

“Unidos pela família que a cada dia cresce/ Distância não atrapalha/ Zona Leste-Oeste/ A peste não para/ A corrente pelo rap...” Música Zulu e Guido.

Assista ao vídeo na integra:

video

Palco MP3
MySpace
E-mail: bancacnr@gmail.com

IMA promove curso de extensão: Os anos Rebeldes

O Instituto Mário Alves gostaria de convidar à todos para o curso de extensão:
“Os anos Rebeldes: Uma Abordagem Sobre a Ditadura Civil-Militar Brasileira.”


Do golpe a Abertura (1964-1979) A Transição Conservadora (1979-1985) Da Eleição ao Impeachment (1989-1992)

O curso será desenvolvido através da exibição do Seriado “Anos Rebeldes”. A partir da minissérie, serão realizados palestras e debates com os professores participantes, bem como apresentação de músicas, imagens e pequenos vídeos sobre o tema.

Realização: Cap/UFRGS
IMA- Instituto Mário Alves

Professores Participantes:
-Alessandra Gasparotto
Professora de História do CAVG/UFPel
-Dariane Raifur Rossi
Professora de Geografia do CAp/UFRGS
-Nilo André Piana de Castro
Professor de História do CAp/UFRGS
-Renato Dela Vechia
Professor de Ciência Política da UCPel

Informações e inscrições:
Instituto Mário Alves
End: Rua Andrade Neves, 821 das 13 às 19 horas
E-mail: imapelotas@yahoo.com
Fone: 30257241
Quanto: R$ 15,00 – sócios IMA
R$ 20,00 – Público em geral

Horário e local do curso:
Dias 20, 21 e 22 de Novembro de 2009.
Sexta-feira: 19 às 23 h
Sábado e Domingo: 8:30 às 12:30/13:30 às 20:00h
Credenciamento: A partir das 18 horas de Sexta-feira
Onde: Auditório do Campus II da Universidade Católica de Pelotas
Certificado de 32h/a.

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

A convergência que leva a democratização

Este ano está sendo muito importante para que avance o debate sobre necessidade da democratização da comunicação no Brasil. Cidades de todo o país se organizaram para receber as etapas regionais e municipais da I Conferência Nacional de Comunicação que será realizada nos dias 14, 15, 16 e 17 de dezembro em Brasília.

No final do mês de outubro, Pelotas sediou a Conferência Livre de Comunicação uma fase preparatória para a etapa nacional. Em Porto Alegre, além da etapa regional, estão ocorrendo diversos encontros para discutir os processos midiáticos como um todo, visualizando a participação da sociedade como elemento fundamental para mudança do atual paradigma.

Recentemente a Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS) trouxe ao estado pesquisadores destacados na áreada cibercultura, por intermédio do X Seminário Internacional da Comunicação. Durante a atividade pôde se perceber que as discussões sobre as novas tecnologias vão ao encontro das necessidades públicas e apontam a importância de serem viabilizados os acessos a tais meios. Na manhã de ontem(11), a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) recebeu os professores Bruno Lima Rocha (Unisinos) e Eduardo Vizer (Universidade de Buenos Aires) para debater os dispositivos legais que geram a formação do monopólio dos meios de comunicação e traçar um paralelo com a mudança do espectro de radiofreqüência na Argentina, onde foi aprovada a Lei dos Meios.

Uma série de outras experiências também tem contribuído de forma permanente para o aprofundamento teórico e prático do fazer comunicacional. O Grupo de Pesquisa Comunicação, Economia Política e Sociedade (CEPOS) da Unisinos é um exemplo destas manifestações, já que há seis anos discute a democratização sob o viés da Economia Política e atua junto à comunidade. Após realizar o curso “Mídia, Democracia e Políticas Públicas”, o grupo está organizando o 3° Seminário de Pesquisa CEPOS, que acontecerá no mês de dezembro. O evento é aberto ao público e irá apresentar os resultados das pesquisas dos trabalhos de alunos do Cepos. Para mais informações acesse o site: http://www.grupocepos.net/

Partido Pirata no Brasil


Quem vem ao Brasil é Amélia Andersdotter,de 21 anos, foi eleita no meio deste ano e deve se tornar a representante mais nova na Assembleia Europeia. Ela vem ao Brasil para participar do Seminário do Fórum da Cultura Digital Brasileira que acontece nos dias 18 e 21 de novembro, na Cinemateca Brasileira, em São Paulo.

Em seu sítio, ela fala sobre suas perspectivas e seus projetos para o futuro. Ela diz que, suas ambições políticas incluem uma profunda revisão e alteração da legislação de direitos autorais, a remoção completa do sistema de patentes, e acredita em um fortalecimento dos direitos civis, mesmo em um ambiente digital.

Sobre o Partido Pirata

Segundo Amelia, o Partido Pirata não quer formar um governo, como ter um presidente. A ideia é ter maioria no Parlamento. "E queremos nos espalhar pelo mundo. Já crescemos na Alemanha. Mas acho que há espaço para a gente, por exemplo, na França e na Espanha."

Seminário Internacional do Fórum da Cultura Digital Brasileira

A programação completa e o formulário de inscrição para participar da mesa de Amélia e das demais atividades propostas no evento serão em breve divulgadas no blog: http://culturadigital.br.

Imagem do blog : http://acertodecontas.blog.br

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

CÂMARA ASSEGURA A CONSTITUCIONALIDADE DO DIPLOMA

O próximo passo em defesa do diploma é no Senado

Em votação simbólica ocorrida na manhã da quarta-feira (11/11) a Comissão de Constituição, Justiça e de Cidadania (CCJC) da Câmara dos Deputados aprovou a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 386/09. A FENAJ prossegue com a vigília nacional em defesa da profissão de jornalista e pela aprovação da matéria, agora na CCJC do Senado. A votação na CCJC da Câmara ocorreu através do voto das lideranças das bancadas com presença na Comissão. O único voto contrário foi da bancada do PSDB. “Esta votação é um atestado da constitucionalidade da exigência do diploma e uma garantia de que não existe conflito entre a regulamentação profissional dos jornalistas e o direito à livre expressão”, comemorou, eufórico, o presidente da FENAJ, Sérgio Murillo de Andrade. A ideia é agilizar a formação da Comissão Especial, compromisso já assumido pelo presidente da casa, Michel Temmer, para apressar a tramitação da PEC.

SANDRO ZIBETTI

Quanto menos melhor?

Comentário

Só se for para o William Bonner! Tá com medo de que?

Lamentavelmente jornalistas que muitas vezes possuem um grande domínio da opinião publica se utilizam dessa ferramenta para manipular a informação e fazer um desserviço a sociedade brasileira.
Mês passado em uma conferência na Universidade de Brasília, o apresentador do Jornal Nacional William Bonner fez um comentário infeliz desrespeitando o direito de participação da população nos meios de comunicação de massa. Quando indagado sobre a democratização da comunicação no Brasil com um tom de indignação respondeu que seis famílias já disputavam o mercado, deixando claro sua opinião sobre o assunto.
Seis famílias é o bastante sim, para enriquecer as custas da falta de cultura e educação do nosso povo tão necessitado de informação de qualidade. A Conferência Nacional de Comunicação está chegando, vai se realizar em dezembro, isso se nossos direitos não forem comprados como costuma acontecer por aqui. Nosso país necessita evoluir, o cidadão brasileiro tem que deixar de ser manipulado e aprender que ele é peça fundamental desse processo e só precisa descobrir isso, porque a chamada grande mídia já sabe.

Fonte da Foto: http://sergiobgomes.wordpress.com/tag/desenhos/

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

A importante contribuição de Michel Maffesoli

Nesta quinta-feira (5), depois de uma brilhante explanação do sociólogo francês, Michel Maffesoli, chegou ao fim o X Seminário Internacional da Comunicação. Desde terça-feira (3) diversos pesquisadores e estudiosos da área estiveram reunidos na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS), em Porto Alegre, para debater temas relacionados à tecnologia, cultura e sociedade.

Presente na abertura da conferência e também no encerramento, Maffesoli, fez questão de ressaltar que, "a perda de si no outro é a principal característica da pós-modernidade". Ao discorrer sobre o pensamento de Auguste Comte e traçar um paralelo com a cibercultura, ele deixou claro que as produções culturais emergentes das camadas subalternas, quando manifestas por meio das novas tecnologias digitais, criam forças de ação contra o poder.

Sua breve elucidação sobre o tema, “Auguste Comte, pensador da pós-modernidade: o Grande Ser e a cibercultura” dialogou de forma complementar com as falas anteriores de Patrick Tacussel e Patrick Watier. Ao caracterizar o silêncio dos homens e das coisas, Tacussel, esclareceu a importância de se atentar para a inter-relação dos indivíduos na experimentação de algo externo, onde o encontro promovido pelo exterior com o interior elabora um convite secreto. Que tipo de convite seria esse? Poderia ele contribuir para manifestações contra-hegemônicas?

Na fala de Waiter, destaque à experimentação como elemento fundamental para que se possa entender como o homem vai ao encontro do homem e a partir daí, dá sentido à sua vida. Ele falou sucintamente da forma com que a socialização se constrói, utilizando exemplos didáticos para provocar a reflexão sobre o mundo ambiente comum. “A maneira como o homem vai se relacionar com seu semelhante corresponde a uma constante troca de imagens, idéias e representações simbólicas”.


Reunindo os elementos importantes do pensamento de cada um dos conferencistas presentes, bem como, de tudo que aquilo que foi discutido no âmbito da comunicação e do imaginário das relações sociais em todo o colóquio, Maffesoli, lembrou aos presentes – em sua maioria estudantes e professores de comunicação – da importância de “sair da tranqüilidade teórica, aquilo que consideramos o nosso chão” e assim, mergulharmos numa forma evolutiva, “que conduz o homem a uma vida comunitária”.



Na foto, estão sentados da esquerda para direita: Patrick Tacussel Jacques Wainberg, Michel Maffesoli e Patrick Watier.

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

VOTAÇÃO DA PEC DOS JORNALISTAS É ADIADA NOVAMENTE






Ao contrário do que se esperava a Comissão de Constituição, Justiça e de Cidadania (CCJC) da Câmara dos Deputados não apreciou, nesta quarta-feira, a Proposta de Emenda Constitucional 386/09. Numa iniciativa protelatória, o deputado Zenaldo Coutinho (PSDB-PA) apresentou voto contrário a PEC dos Jornalistas no dia anterior. Apoiadores da proposta concentrarão esforços para que a proposta seja votada na reunião da CCJC do dia 4 de novembro.
Autor da PEC dos Jornalistas, o deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS) classificou como um tipo de "censura" tanto a prática da grande mídia, que restringe o acesso ao debate quando concede espaço somente a uma versão dos fatos, como a tentativa de barrar a votação da Proposta na CCJ. "É estranho que aqueles que se dizem defensores da liberdade de expressão revelem na prática exatamente o inverso, manipulando e restringindo a discussão. Desde que se começou a cogitar a votação da PEC na CCJ, iniciaram, estrategicamente, movimentos para impedir a análise da Proposta, o que considero uma prática anti-democrática", critica.



Sandro Zibetti

Sem luz, o que fazer?

Pelotas amanheceu nessa terça-feira sem luz. Vários pontos da cidade encontravam-se sem energia elétrica o que causou grandes transtornos. Os motoristas pelotenses tiveram que redobrar a atenção, pois a maioria das sinaleiras do centro da cidade estavam apagadas em pleno horário de pico, quando todos se dirigiam ao trabalho, escola e outros compromissos.

Quem conseguiu chegar ao trabalho e resolveu esperar a energia voltar, perdeu a manhã. Sem luz = sem computador. Quem dependia da máquina para realizar suas atividades ficou literalmente na “mão”. O que fazer durante várias horas sem luz no trabalho? O jeito é aproveitar para dar aquela organizada nas coisas, que a tempos gostaria de fazer mas nunca tinha tempo.

São nesses momentos que paramos para refletir sobre a realidade em que vivemos e o quão somos escravos das máquinas. O ser humano foi realmente feito para se adaptar. Não imaginamos nossas vidas sem celular, computador, mas a uns 15 anos atrás essas coisas não faziam parte da realidade de muita gente.

Uma dica: carregue sempre um livro ou uma revista em sua bolsa para ocasiões como essa. E quando sair de férias experimente tirar férias de TUDO. Teste sua capacidade de adaptação, pois quanto menos dependemos das máquinas, mais livre e felizes somos.

A nova versão do Linux Ubuntu 9.10 já está disponivel

A Canonical liberou o download gratuito da versão final do Ubuntu 9.10 Desktop Edition. O software livre Ubuntu é considerado um dos mais amigáveis sistemas operacionais em Linux.

Uma das principais novidades é o serviço Ubuntu One, baseado em computação em nuvem, para que os usuários possam realizar backups, sincronização e compartilhamento de arquivos, com até 2 Giga de espaço gratuito para todos os usuários do sistema.

Há também planos pagos de computação em nuvem que vão até 50 Giga. Ubuntu é uma palavra que vem da África do Sul e pode ser traduzida como "humanidade com os outros" ou "sou o que sou pelo que nós somos".

De acordo com pesquisa da Linux Foundation, é a distribuição Linux mais utilizada nas empresas. O download da nova versão pode ser feito em www.ubuntu-br.org.

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Praça Coronel Pedro Osório veste-se de vermelho e preto.

Sábado, 31 de outubro, os torcedores do Xavante lotaram a 37º Feira do Livro de Pelotas, em busca do livro “A noite que não acabou”, que relata os acontecimentos com o Grêmio Esportivo Brasil desde a viagem ao Vale do Sol até o último jogo no Gauchão. Todos os 350 exemplares foram vendidos em cinco horas de sessão de autógrafos. Torcedores da “maior e mais fiel”, com se auto intitulam, vestiram a camiseta do rubro negro e caminhavam pela feira demonstrando todo o seu amor ao clube. A charanga da torcida organizada Máfia, juntou-se aos numerosos torcedores e entoou os gritos que motivam seus jogadores dentro de campo. Músicas e bandeiras lembraram e homenagearam seus heróis mortos em 15 de janeiro deste ano. E assim, transformaram a praça Coronel Pedro Osório em uma arquibancada do Bento Freitas.

Nauro Júnior, fotógrafo correspondente do jornal Zero Hora em Pelotas, foi o primeiro membro da imprensa a chegar no local do trágico acidente, no entroncamento das rodovias RST-471 e BR-392, em Canguçu. Desde então trabalhou no projeto do livro, com o objetivo de contar as histórias que envolveram o fato. Solicitou ao jornalista, Eduardo Cecconi, para entrar no projeto e escrever os seis capítulos centrais do livro, o primeiro e o último são escritos por Nauro. Aldyr Schlee escreveu o prefácio e orientou os autores no texto, que pode ser descrito como uma longa reportagem, sem abrir espaço ao sensacionalismo. Tão rico em detalhes que pode transportar o leitor até o local onde os fatos aconteceram.

A 2ª edição já foi providenciada, e estará disponível a partir de sábado, dia 07. Uma nova sessão de autógrafos está programada para o dia 08, às 18h, na Feira do Livro.